APO e avaliação de desempenho

Existe um grande passivo de edificações existentes que necessitam ter seu desempenho avaliado, visando decisões futuras de pequenos ajustes, reformas, retrofits ou até demolição e reconstrução

(Imagem: Divulgação)

 

Historicamente, no Brasil, desde a década de 1980 as APOs já adotavam os conceitos de desempenho para a avaliação técnica do ambiente construído com base na norma internacional ISO 6241 (ISO, 1984), por meio de vistorias e medições realizadas por especialistas, em paralelo à coleta de informações de satisfação dos usuários, diferentemente do que ocorria em países mais desenvolvidos.

Justifica-se a realização dessa avaliação técnica como uma necessidade particular do caso brasileiro, devido a falhas no atendimento das condições mínimas de comportamento do ambiente construído, que são atribuídas à possível falta de qualidade da construção civil, seja oriunda do projeto, da construção ou do uso e da manutenção das edificações.

Com a necessidade atual de atender à norma de performance e a outros requisitos, sejam eles de ordem legal, econômica ou ambiental, espera-se que as novas edificações apresentem melhor desempenho e satisfaçam às necessidades de seus usuários.

Vida útil do edifício

Porém, elas ainda devem ter seu desempenho aferido ao longo de sua vida útil. Além disso, existe um grande passivo de edificações existentes que necessitam ter seu funcionamento avaliado, visando decisões futuras de pequenos ajustes, reformas, retrofits ou até demolição e reconstrução.

Assim, a incorporação da avaliação de desempenho às APOs, ainda que de forma não extensiva, é desejável e útil para compreender o comportamento do usuário no ambiente construído e aprimorar o espaço a fim de atender às exigências do usuário.

Em geral, a equipe de APO, ao utilizar procedimentos metodológicos de reconhecimento do ambiente construído, já pode obter informações prévias sobre o desempenho do ambiente a ser avaliado.

(Imagem: aU)

 

Em posse dessas informações, a equipe de pesquisa da APO pode decidir se uma análise do ambiente construído em estudo, sob o ponto de vista do desempenho, é relevante, bem como pode definir os requisitos de desempenho de análise prioritária e as formas de verificação. Um instrumento interessante para a avaliação de desempenho é um checklist de requisitos a serem avaliados.

Devido às características da aplicação de uma APO, as avaliações de desempenho nela inseridas se limitam a inspeções visuais e medições em campo, que devem ser realizadas conforme procedimentos estabelecidos em documentos normativos. E essas inspeções e medições só serão viáveis quando a equipe estiver provida de profissionais qualificados e equipamentos adequados para a atividade proposta.

Tudo a ver

Já está disponível em nossa loja o lançamento Avaliação Pós-Ocupação na Arquitetura, no Urbanismo e no Design, um guia conceitual, teórico, metodológico e prático para a aplicação da Avaliação Pós-Ocupação (APO), com base em mais de três décadas de estudos e pesquisas teóricas e empíricas.

Estudantes, professores e profissionais das áreas de Arquitetura, Urbanismo, Design e Engenharia tem a possibilidade de ter em mãos uma obra abrangente e atual, que disponibiliza  os conteúdos necessários para entender e aplicar a APO.