Arranjos esquemáticos dos processos de dessalinização

Serão abordadas as duas principais tecnologias de dessalinização aplicadas no mundo em grande escala, a destilação térmica e a dessalinização por membranas, além de outros processos menos utilizados

(Foto: Portal El Carabobeño)

 

Os esquemas gerais dos processos de dessalinização com água provinda de fontes superficiais e subterrâneas são apresentados, respectivamente, nas Figs. 2.1 e 2.2.

Na Fig. 2.1, a água bruta passa primeiramente por um sistema de gradeamento para remover detritos, sendo então posteriormente bombeada para um pré-tratamento, onde é adequadamente preparada para o processo de dessalinização.

O pré-tratamento inerente aos processos de destilação envolve a remoção de gases como o dióxido de carbono (CO2), se utilizado ácido no pré-tratamento da água de alimentação, e de areia.

(Imagem retirada do livro Dessalinização de águas. Todos os direitos reservados a Oficina de Textos.)

 

O pré-tratamento para o processo OR precisa ser muito mais rigoroso, exigindo a remoção de partículas em suspensão, como matéria coloidal.

Retrolavagem

Esse tipo de remoção requer o uso de ácidos e coagulantes para permitir a utilização de processos de filtração comum e/ou filtração direta em membranas de microfiltração (MF) ou de ultrafiltração (UF). A retrolavagem de filtros resulta na necessidade de fazer a disposição final de sólidos, como ilustra a Fig. 2.2.

Essa figura mostra o processo de dessalinização quando a fonte de água bruta é subterrânea. Nesse caso, o pré-tratamento é minimizado porque a água bruta já vem pré-filtrada da fonte subterrânea, ou seja, o pré-tratamento por filtração não é usualmente necessário. Porém, se o tanque de alimentação for aberto, essa operação pode tornar-se necessária.

(Imagem retirada do livro Dessalinização de águas. Todos os direitos reservados a Oficina de Textos.)

 

Após o pré-tratamento, a água bruta, não importa qual seja a fonte de alimentação, é bombeada para o processo de dessalinização, onde é processada. Essa água é convertida em até três fluxos: um de água produzida, outro de concentrado e, às vezes, um fluxo de gás, a depender do processo, sendo que o fluxo de água produzida é a saída principal.

Como a água purificada vai sendo removida, resta um fluxo mais concentrado a ser eliminado, comum a todos os processos de dessalinização. Em alguns processos, principalmente os que envolvem a destilação, uma pequena parte da água produzida é utilizada na lavagem de gases. Gases também são gerados nos processos ED.

O fluxo de gás, nesse caso, é tratado na fase de pós-tratamento, o que é feito para estabilizar a água, ou seja, torná-la não corrosiva. A água assim tratada está pronta para ser bombeada ao sistema de distribuição.

Qualquer que seja o processo de dessalinização, há sempre consumo de energia. O índice de desempenho é definido como a massa de água dessalinizada produzida por unidade de energia consumida. Nas unidades inglesas, é o número de libras de água para cada mil unidades térmicas britânicas (lb/1.000 BTU) de entrada de calor. Em unidades métricas, trata-se do número de quilogramas de água por megajoule ou por kWh (kg/MJ ou kg/kWh).

Tudo a ver

Está disponível em nosso lojão o livro Dessalinização de águas, uma obra de referência: o primeiro livro brasileiro totalmente dedicado a este assunto. Ele oferece alternativas para o enfrentamento de situações de crise hídrica e evitar o desabastecimento. Garanta o seu!