fbpx

As características do concreto pré-moldado

A consideração do que é vantagem e do que é desvantagem é um assunto que se torna muitas vezes polêmico, sujeito a condições circunstanciais

Construção de galpão Pré-moldado em Santana de Parnaíba. (Foto: Divulgação.)

 

De forma simplista, pode-se considerar que o CPM apresenta as vantagens que resultam da execução de parte da estrutura fora do local de utilização definitivo, como consequência das facilidades da produção dos elementos e da eliminação ou da redução do cimbramento.

Levando em conta o caso atípico do emprego do CPM ilustrado nas figuras abaixo (reservatório), em que a construção é feita com um único elemento pré‑moldado, as vantagens seriam a redução do cimbramento, bastante significativa nesse caso, e as facilidades da execução da fôrma, da armação e da moldagem, no nível do solo.

No caso da produção em grandes séries, em fábricas, o CPM exibe uma série de características que conferem claras vantagens para o seu emprego. Conforme adiantado, entre outras, elas seriam: redução do tempo de construção, melhor controle dos componentes pré‑moldados e diminuição do desperdício de materiais na construção.

Imagem retirada do livro Concreto Pré-moldado – 2ª ed. (Ed. Oficina de Textos, 2017) Todos os direitos reservados.

 

As desvantagens do CPM são aquelas decorrentes da colocação dos elementos nos locais definitivos de utilização e da necessidade de prover a ligação entre os vários elementos para formar a estrutura. As desvantagens provenientes da colocação dos elementos nos locais de definitivos de utilização estão relacionadas aos custos e às limitações do transporte e da montagem dos elementos.

No caso do transporte, as limitações são, de maneira geral, os gabaritos de transporte, e, no caso da montagem, a disponibilidade e as condições de acesso de equipamentos para a sua realização”, explica o Prof. Mounir Khalil El Debs no livro Concreto pré-moldado 2ª ed.

As ligações entre os elementos podem constituir uma das dificuldades no emprego do CPM. Normalmente, ligações mais simples acarretam estruturas com esforços solicitantes mais desfavoráveis, ao passo que ligações que procuram reproduzir o monolitismo das estruturas de CML são, em geral, mais trabalhosas ou mais caras, conforme dito anteriormente.

Imagem retirada do livro Concreto Pré-moldado – 2ª ed. (Ed. Oficina de Textos, 2017) Todos os direitos reservados.

 

Esse aspecto não deve ser considerado uma restrição ao uso do CPM, mas sim o preço que se paga para ter as facilidades na execução dos elementos.

Vantagens e desvantagens

Na maior parte dos livros sobre CPM é relacionada uma série de vantagens desse material. No entanto, a consideração do que é vantagem e do que é desvantagem é um assunto que se torna muitas vezes polêmico, sujeito a condições circunstanciais.

A avaliação mais importante para ver as vantagens ou desvantagens do CPM para um caso específico seria aquela com a análise do custo e a sua comparação com outras alternativas construtivas. Naturalmente, o custo não deve ser só aquele direto e imediato.

É preciso levar em conta os custos ou benefícios indiretos, como o menor tempo de construção. Deve-se também considerar os custos de manutenção, uso e desativação da construção.

Tudo a ver

Com mais de 400 páginas, Concreto pré-moldado – 2ª Ed. está dividido em 4 partes e 13 capítulos, compreendendo desde os fundamentos do concreto pré-moldado, prosseguindo pelas aplicações em edifícios, pontes e outras construções civis e completando com os elementos de produção especializada.

Na última parte são apresentados anexos, que entre outros assuntos, incluem exemplos numéricos. Este livro é direcionado a alunos e profissionais de engenharia civil e arquitetura, com ênfase ao projeto das estruturas formadas por elementos pré-moldados.