Bioma Florestal Tropical Estacional Densa Semidecídua

Florestas interioranas que se distribuem principalmente sobre planaltos, em altitudes de 700 m a 1.000 m acima do nível do mar

Vista aérea de floresta estacional semidecidual no Parque Estadual Morro do Diabo, SP.

 

Também conhecido como Floresta Mesófila (do grego mesos= meio e filo= amigo, isto é, florestas de clima nem tão úmido, nem tão seco), esse é mais um bioma florestal que o mapa do IBGE (2004) coloca como bioma Mata Atlântica.

O mapa dos domínios morfoclimáticos e fitogeográficos de Aziz Ab’Saber também coloca essas florestas dentro do Domínio Atlântico ou dos Mares de Morros.

Todavia, essas florestas não são sempre-verdes, mas semidecíduas, não ocorrem sobre planícies costeiras ou zonas de encostas das serras que acompanham o litoral, e o seu clima é tropical estacional, com seca de três a quatro meses no outono/inverno, e não tropical fluvial sempre úmido”, é o que conta o saudoso biólogo Leopoldo Coutinho, no livro Biomas brasileiros.

O clima desse bioma não é equatorial quente e úmido, como nos biomas costeiros, mas tropical estacional, com chuvas de 1.000 mm a 1.800 mm anuais, concentradas no verão, e com inverno seco com duração de três a quatro meses. A temperatura média anual é de 22 ºC a 26 ºC.

Ainda segundo descrito em Biomas brasileiros, “os solos são geralmente latossolos, profundos, arenoargilosos a argilosos, permeáveis, de cor vermelha a vermelho-amarelada ou roxa (terra roxa). São solos relativamente férteis, razão pela qual essas florestas quase desapareceram, tendo sido derrubadas em razão da madeira que possuíam e dos solos favoráveis à agricultura”.

Flora

A flora dessas florestas é bastante rica, destacando-se pela importância a cuputuna-preta, a gameleira, a jataúba, o araribá e a canela-imbuia, entre outras. Merecem destaque também os jequitibás rosa e branco, o pau-jacaré, a cabreúva e o jatobá. O índice de espécies raras é alto e os de diversidade de espécies arbóreas estão entre os mais altos que se conhecem.

Fauna

Quanto à fauna, os principais predadores nessas matas são a onça-pintada, a onça-parda e a jiboia. Outros animais comuns são o coati, a queixada, o cateto, o tapiti, o veado-mateiro, o jacu, o uru, várias espécies de papagaio, maritacas, entre outros.

Tudo a ver

Escrito pelo saudoso Leopoldo Magno Coutinho, um dos grandes biólogos brasileiros, Biomas brasileiros fundamenta os conceitos que definem um bioma, tema controvertido na comparação de diferentes autores, focando zonas climáticas e zonobiomas, e descreve e caracteriza os 16 principais biomas do Brasil.

Compartilhe este conteúdo

Conhece alguém interessado? Indique.