Agricultura e Recursos Florestais

Catálogo da Embrapa de árvores nativas contribui para manejo florestal comunitário

Na última semana, novo Catálogo da Embrapa de árvores nativas intitulado “Árvores do manejo florestal no Projeto de Desenvolvimento Sustentável Virola-Jatobá” foi publicado. Este, desenvolvido por pesquisadores e técnicos da instituição em parceria com identificadores comunitários, visa a classificação correta das espécies arbóreas originárias da Amazônia.

Em material completamente colorido, redigido em linguagem acessível, o Catálogo da Embrapa de árvores nativas lista mais de 50 espécies da região amazônica e apresenta detalhes, como características do tronco, fruto, casca e flor, por exemplo.

Vista inferior da copaíba, uma das espécies apresentadas no catálogo da Embrapa de árvores nativas. Tronco largo e galhos cobertos por folhas verdes. No tronco, vê-se folhas de costela-de-adão.
Vista inferior da árvore copaíba, também presente no catálogo da Embrapa de espécies nativas. Foto: Jonathan Wilkins/Wikimedia Commons

Além disso, expõe a utilidade dos componentes de cada uma das variedades na indústria, no comércio e até mesmo na culinária e no artesanato. O material apresentado no Catálogo da Embrapa de árvores nativas visa a promoção do desenvolvimento sustentável por meio do manejo florestal comunitário na região.

Objetivos do Catálogo da Embrapa de árvores nativas

O Catálogo da Embrapa de árvores nativas se propõe a contribuir para a identificação botânica com uma linguagem acessível, a fim de que as comunidades que atuam com o Manejo Florestal Comunitário na Amazônia desenvolvam estratégias de sustentabilidade e conservação de espécies originárias da região. 

Segundo Ademir Ruschel, pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental e um dos responsáveis pela publicação, a disseminação do conhecimento sobre as florestas é “fundamental para as comunidades realizarem o manejo adequado”. 

Para ele, a identificação correta das espécies arbóreas ainda é um desafio para o manejo comunitário, uma vez que é comum que um único nome popular abranja diferentes espécies, que têm a aparência semelhante, mas características biofísicas distintas. 

Página do catálogo da Embrapa de árvores nativas na qual se vê a descrição da castanha-do-brasil; suas utilidades; curiosidades; características do talho, casca externa, flor, base do tronco, fruto e madeira. No canto superior direito, risco de extinção ao lado de mapa do Brasil indicando a região amazônica, onde a árvore se desenvolve. Abaixo, fotografia do tronco da árvore.
Exemplo de descrição de árvore nativa no catálogo da Embrapa. Foto: Reprodução/Embrapa

Por este motivo, o Catálogo da Embrapa de árvores nativas apresenta em detalhes as características de 56 espécies arbóreas comerciais originárias da Amazônia, como maciez do corte, cheiro e umidade do talho; tamanho e cor das flores; dureza e durabilidade da madeira, e formato do fruto, por exemplo.

Além disso, o material mostra utilidades e aplicações da madeira e dos frutos de cada uma das variedades expostas, curiosidades sobre estas e aponta o risco de extinção das espécies. 

Árvores apresentadas no catálogo da Embrapa

O Catálogo da Embrapa de árvores nativas apresenta 56 espécies originárias da Amazônia que têm aplicações comerciais na região. Estas são:

  • Abiu-larga-casca;
  • Abiu-mangabarana;
  • Abiu-vermelho;
  • Acapu;
  • Amapá-doce;
  • Amarelão;
  • Andiroba;
  • Angelim-amargoso;
  • Angelim-vermelho;
  • Cajuaçu;
  • Castanha-do-brasil;
  • Cedro
  • Coco-pau;
  • Copaíba;
  • Cumaru;
  • Cupiúba;
  • Currupixá;
  • Fava-amargosa; Fava-arara-tucupi;
  • Fava-atanã;
  • Fava-bolota;
  • Fava-branca;
  • Fava-tamboril;
  • Freijó-cinza;
  • Guajará-bolacha;
  • Guajará-pedra;
  • Guariuba/oiticica;
  • Ipê-amarelo;
  • Itaúba-amarela;
  • Jarana;
  • Jatobá;
  • Louro-pimenta;
  • Maçaranduba;
  • Maçarandubinha;
  • Maparajuba;
  • Melancieiro;
  • Muiracatiara;
  • Mururé, parapará;
  • Pau-amarelo;
  • Pequiá;
  • Pequiarana;
  • Sapucaia;
  •  Sorva;
  • Tachi-branco;
  • Tachi-preto;
  • Tachirana;
  • Tanimbuca;
  • Tatajuba;
  • Tauari;
  • Timborana
  • Ucuuba-terra-firme;
  • Ucuubarana;
  • Uxi;
  • Uxirana;
  • Xixuá.

O Catálogo da Embrapa de árvores nativas está disponível para download gratuito

Livros da Ofitexto sobre manejo florestal

O manejo florestal é o uso de práticas de planejamento e princípios de conservação que visam garantir que uma determinada floresta seja capaz de suprir, de forma contínua, um determinado produto ou serviço.

A Oficina de texto conta com títulos que se relacionam a essa área, tais como: 

Renascimento das florestas: regeneração na era do desmatamento

De autoria de Robin Chazdon, o livro trata, em 15 capítulos, de questões como o uso do solo, regeneração florestal e diversidade da fauna e da flora locais durante o processo de regeneração. A obra está à venda na versão impressa na livraria técnica Ofitexto. 

Capa do livro Renascimento das florestas. Chão forrado de folhas de árvores secas em diversas tonalidades.
Capa de Renascimento das florestas, da Oficina de Textos.

Restauração florestal 

Nesta obra Ricardo Ribeiro Rodrigues, Pedro Brancalion e Sergius Gandolfi apresentam o histórico e as bases conceituais para a restauração florestal em florestas tropicais e subtropicais, permitindo a escolha dos melhores métodos de restauração para diferentes situações de degradação; sua implantação eficiente em termos ecológicos, econômicos e de operacionalidade; e o monitoramento dos resultados.

O livro pode ser adquirido nas versões impressa, em e-book e em um pacote contendo ambas. Além disso, é possível obter os capítulos avulsos.

Capa do livro Restauração florestal. Campo verde, coberto por grama e com diversas mudas de árvores pelo caminho. Ao fundo, floresta e céu azul.
Capa do livro Restauração florestal, da Oficina de Textos.

Quantificação dos recursos florestais

Utilizando uma abordagem atual e inovadora, com conceitos, técnicas e métodos específicos para quantificação e monitoramento de árvores, arvoredos e florestas, João Luís Batista, Hilton Thadeu do Couto e Demóstenes da Silva Filho abordam, nesta obra, os principais conhecimentos da área, como métodos destrutivos e não destrutivos, metrologia, silvimetria, inventário florestal, monitoramento e predição de atributos, entre outros.

O livro pode ser adquirido na livraria técnica Ofitexto nas versões em e-book e impressa. Também é possível obter o pacote contendo ambos os formatos, além de capítulos avulsos.

Capa do livro Quantificação de recursos florestais, na qual se vê uma floresta vista de baixo para cima, sob o céu azul.
Capa de Quantificação de recursos florestais, da Oficina de Textos.

Para saber mais