Desmonte de rochas: Segurança e conforto da vizinhança

Desmonte de rochas
Detonação de rocha interdita BR-364 no trajeto entre Rondonópolis e Jucimeira. (Imagem: AgoraMT)

O emprego de explosivos no desmonte de rochas é uma prática corriqueira em razão de seu custo-benefício. Escavar a rocha com explosivos é um direito das empresas habilitadas, porém, ao mesmo tempo, é um direito inalienável do cidadão ter a integridade estrutural de seu imóvel preservada durante as detonações.

A escavação de rochas por explosivos, quando feita de maneira correta – com equipe experiente e devidamente treinada – e com o atendimento às normas pertinentes, é um procedimento técnico necessário para o bom desenvolvimento de empreendimentos que beneficiam toda a população de uma dada região.

Entre eles, pode-se mencionar obras de combate a cheias e de melhoria da mobilidade urbana, bem como a lavra de bens minerais para o desenvolvimento e o bem-estar da sociedade.

Conflitos socioambientais

No entanto, como toda e qualquer atividade sujeita a riscos, o desmonte de rocha por explosivos pode ser alvo de conflitos socioambientais pela geração de alegados incômodos, como a vibração do terreno, a emissão de ruídos, o ultralançamento e a geração de poeira.

Apesar de a utilização de explosivos, como já comentado, ser a maneira mais eficiente e economicamente viável para executar a escavação da rocha na mineração e na construção civil, estima-se que apenas 20% a 30% da energia dos explosivos é de fato usada na fragmentação da rocha, sendo que o restante dessa energia acaba provocando impactos ao meio ambiente.

Dessa forma, há um risco real para as estruturas e o pessoal nas vizinhanças de minas e de escavações civis ou, no mínimo, a geração de incômodo humano. A detonação de uma carga explosiva contida em um furo gera pressões instantâneas que podem atingir níveis que variam de 2 GPa a 12 GPa, dependendo das características e da quantidade do explosivo utilizado.

Leia também

Desmonte de rochas: Entrevista com Valdir Silva

Explosivos no desmonte de rochas

Uma parte da energia gerada pelo explosivo trabalha na quebra e no lançamento da massa rochosa. Outra parte passa diretamente ao maciço rochoso na forma de ondas de choque instáveis (body waves), de alta velocidade, propagando-se pelo maciço, sob forma ondulatória, e provocando vibrações até que a energia se dissipe.

Uma terceira parte da energia de detonação é transmitida à atmosfera, causando ruídos e onda aérea (sobrepressão atmosférica). A Fig.1 mostra os principais problemas gerados pelos desmontes de rocha.

Desmonte de rochas
Fig.1: Principais perturbações originadas pelos desmontes de rocha. (Imagem retirada do livro Desmonte de rochas. Todos os direitos reservados à Oficina de Textos).

Como, ao contrário de outras atividades econômicas, a mineração não tem a liberdade de escolher o local de atuação, já que está condicionada à rigidez locacional, torna-se necessário elaborar um bom planejamento da lavra da mina e realizar o monitoramento de suas operações.

A minimização dos conflitos, buscando uma convivência aceitável entre as atividades de escavação da rocha e a comunidade que vive em seu entorno, tem sido mais eficaz com a aplicação de medidas efetivas de atenuação do impacto ambiental por parte das empresas responsáveis pelas operações de desmonte de rocha.


Tudo a ver

Desmonte de rochas revisa os conceitos básicos intervenientes, como propriedades físicas e mecânicas das rochas, para se aprofundar nos processos de perfuração de rochas, detalhando os equipamentos, os diferentes tipos de explosivos e os diferentes acessórios.