Entre vantagens e desvantagens o projeto de alvenaria cresce no Brasil

Veja a seguir quais são os tipos de alvenarias, suas vantagens e desvantagens e como esse tipo de projeto vem evoluindo a ponto de ser utilizado na construção de prédios de grande porte

Caso recorrente de patologia em alvenaria. (Imagem retirada do livro Patologias em alvenarias – 2ª Edição/ Editora Oficina de Textos) Todos os direitos reservados.

 

A alvenaria é um sistema barato, rápido e culturalmente no Brasil a gente espera que uma edificação seja de alvenaria. Enquanto nos Estados Unidos se usa muito drywall e outros tipos de revestimentos, por aqui ainda é bastante difundida, principalmente por conta do baixo custo se comparada a outros elementos de vedação.

As alvenarias se dividem em dois tipos: estruturais e não-estruturais. Ambas podem ser compostas por tijolos cerâmicos, de concreto, de calcário.

  • Alvenarias não-estruturais

As alvenarias não-estruturais têm as seguintes finalidades: compartimentar ambientes, podendo ser internas ou externas (estas últimas delimitam a edificação); resistir ao seu peso próprio e a pequenas cargas de ocupação, como prateleiras e lavatórios; resistir às cargas de ventos e às solicitações de tentativa de intrusão sem que a segurança dos ocupantes da edificação seja prejudicada; resistir a certo nível de impacto sem entrar em ruína; resistir à ação do fogo, não contribuindo para o início de um incêndio nem para a propagação de chamas e calor, e não produzindo gases tóxicos quando em combustão.

  • Alvenarias estruturais

A alvenaria estrutural, além de ter as mesmas finalidades da alvenaria não estrutural, serve também como suporte estrutural. Conforme o cálculo das cargas a serem suportadas, pode ser provida de pontos de graute e armaduras para aumentar sua capacidade, portanto.

Vantagens e desvantagens

Segundo a MSc. Cristina Furlan Caporrino, autora do livro Patologias em Alvenarias – 2ª ed., “a vantagem da alvenaria estrutural é que ela é uma obra rápida, barata, porque a própria alvenaria faz parte da estrutura, então as lajes se apoiam na alvenaria, e a grande desvantagem dela é a limitação de mudanças posteriores, então se eu precisar fazer uma reforma eu não posso retirar a alvenaria estrutural, pois se eu tivesse que retirar teria que fazer um reforço e contratar um projeto estrutural para fazê-lo”.

Além disso, pode limitar um pouco o tamanho dos vãos. Quando se tem uma edificação com grandes vãos, um projeto de alvenaria não é considerado adequado. Com isso o mais recomendado é uma obra em concreto armado ou com estrutura metálica e alvenaria de vedação.

Evolução da qualidade

No entanto, com a disseminação da alvenaria estrutural pelo País, houve também uma evolução da qualidade técnica dos blocos, assim como a capacitação de construtores e fabricantes em diversas regiões.

Esse sistema construtivo cresceu nas últimas décadas associado às obras em grande escala de prédios com poucos pavimentos, destinados às moradias populares.

Hoje em dia já é bastante adotado na execução de projetos de edifícios residenciais de médio e alto padrão e em prédios hoteleiros, variando geralmente entre oito e 15 pavimentos, com possibilidade de ir além, de acordo com as especificações dos projetos. O sistema também é adotado em edifícios baixos, como creches, escolas e unidades de saúde.

Dentre outros pontos que levaram ao uso do projeto de alvenaria para construções de grande porte, está o desenvolvimento de blocos mais resistentes à compressão para atender a projetos com maior número de pavimentos e/ou com vãos mais largos.

Nas últimas duas décadas, a resistência dos blocos cresceu, e surgiram fabricantes capazes de oferecer produtos estruturais de diversos materiais com cerca de 20 MPa.

Essa resistência maior, porém, é oferecida ao custo de paredes mais grossas e blocos mais pesados, que também são pontos limitantes para a diversificação dos projetos.

Tudo a ver

Está disponível em nossa loja o livro Patologias em Alvenarias – 2ª Edição. A obra descreve de forma clara e didática as patologias e suas causas mais comuns, bem ilustradas por esquemas e fotos de casos reais, não descuidando ainda dos revestimentos argamassados.