Geologia e mineração

Formações rochosas brasileiras para conhecer e se impressionar

O Brasil é cheio de maravilhas naturais que despertam o encanto e a curiosidade de pessoas em todo o mundo. Entre os cenários de tirar o fôlego de quem visita nosso País estão diversas formações rochosas impressionantes que lembram as formas de animais e até mesmo de seres humanos. 

Preparamos uma lista com 7 formações rochosas impressionantes no Brasil. Trazemos também algumas curiosidades sobre essas paisagens e lendas que permeiam o imaginário dos visitantes desses cenários. Confira!

Formações rochosas impressionantes no Brasil

Rico em biodiversidade, o Brasil é um País que encanta a qualquer um com suas maravilhas naturais. Além de praias e cachoeiras de tirar o fôlego, fauna e flora únicos, temos, de Norte a Sul, diversas formações rochosas que cativam estudiosos em geologia e leigos de todo o mundo. 

Entre elas estão: 

Dedo de Deus 

Localizada na Serra do Mar, no estado do Rio de Janeiro, entre as cidades de Teresópolis, Petrópolis e Guapimirim, o Dedo de Deus é uma das formações geológicas que compõem a Serra dos Órgãos. 

Dedo de Deus, formação rochosa cujo formato lembra o de um dedo apontando para cima, localizada na Serra dos Órgãos, RJ.
Foto: Carlos Perez Couto/Wikimedia Commons

Pedra do Cão Sentado

Também no estado do Rio de Janeiro, a Pedra do Cão Sentado é o principal cartão-postal da cidade de Nova Friburgo, medindo 111 metros de altura. O monumento fica localizado no Parque Ecológico de mesmo nome, que conta com outras atrações, como cachoeiras, trilhas, grutas e áreas para escalada.

A Pedra do Cão Sentado, que remete ao formato de um cachorro, fica no município de Nova Friburgo (RJ).
Foto: Famacruz/Wikimedia Commons

Pedra Furada

Conhecida como Pedra Furada, essa formação rochosa fica localizada no Parque Nacional da Serra da Capivara, compreendido entre os municípios de Canto do Buriti, Coronel José Dias, São João do Piauí e São Raimundo Nonato, no estado do Piauí. 

Pedra com uma perfuração redonda no centro, remetendo a um furo.
Foto: Artur Warchavchik/Wikimedia Commons

O local é considerado um museu a céu aberto, por expor diversas formações rochosas impressionantes, além de conter sítios arqueológicos e paleontológicos com materiais milenares. 

O Frade e a Freira

Com o formato que lembra as silhuetas de um frade e de uma freira, a pedra que recebe esse nome é uma formação granítica que está localizada entre os municípios de Itapemirim e Vargem Alta, no estado do Espírito Santo.

Formação rochosa que remete ao formato de uma mulher usando véu encarando um homem com trajes de padre.
Foto: André L P Carreira/Wikimedia Commons

Existe uma lenda que conta a história de como um padre e uma freira, que trabalhavam juntos nas missões jesuíticas de catequização dos povos originários, se apaixonaram e, sufocando seus sentimentos em nome da fé, foram recompensados por Deus, sendo transformados em pedras. Desta forma, o amor e a admiração que nutriam um pelo outro foram eternizados.

Vale da Lua

Uma das atrações mais visitadas da Chapada dos Veadeiros (GO) e uma das formações rochosas mais conhecidas, é o Vale da Lua. Este recebeu esse nome por lembrar paisagens lunares. As crateras presentes nas formações rochosas são constantemente esculpidas pelo atrito entre a areia, levada pelas águas cristalinas do Rio São Miguel, e as rochas. 

O cenário dessas formações rochosas lembra a superfície lunar
Foto: Lucia Carvalho Horta/Wikimedia Commons

Pedra da Galinha Choca

Localizada na cidade de Quixadá (CE), a Pedra da Galinha Choca é uma das paisagens rochosas mais conhecidas do Brasil. Este é um monolito composto por rochas ígneas, ou seja, que foram formadas a partir do resfriamento do magma vulcânico. 

Pedra alta que remete à forma de uma galinha.
Foto: GLandovsky/Wikimedia Commons

O cenário serviu de locação para dois longas-metragens, inspirados pelo exotismo do local: O Cangaceiro Trapalhão (1983) e Área Q (2012). Este último é uma coprodução brasileira e estadunidense. 

Taça

Um dos principais símbolos da cidade de Ponta Grossa (PR) é o afloramento de arenito denominado Taça, obviamente em virtude de seu formato. A cor avermelhada da formação rochosa se dá pela oxidação do material arenoso do local pelo óxido de ferro, que cimentou a área quando da drenagem do mar interior que ali existia. 

Formação rochosa no formato de uma taça cercada de árvores.
Foto: RjasperX/Wikimedia Commons

Livro que apresenta diferentes formações rochosas é lançamento na Ofitexto

Publicado no último mês de abril na livraria técnica Ofitexto, a 2ª edição do livro Rochas ígneas e metamórficas: petrografia, aplicação e degradação apresenta, de forma didática, os diversos materiais geológicos que constituem as formações rochosas que dão origem a monumentos e construções de diversos tipos no Brasil e no mundo. 

De autoria de Antônio Gilberto Costa, a obra é completamente ilustrada e impressa em cores em material de primeira qualidade, e pode ser um meio de aprendizagem para estudantes de geologia, petrografia e para aqueles que buscam se especializar em restauração de monumentos. 

O livro está disponível para aquisição nas versões impressa e em e-book na loja on-line da Ofitexto. 

Capa do livro Rochas ígneas e metamórficas
Capa de Rochas ígneas e metamórficas, publicado pela Oficina de Textos. Todos os direitos reservados.

Para saber mais

rochas--260x350.jpg
Rochas-Manual-facil-de-estudo-e-classificacao-260x390.jpg
Geoturismo-geodiversidade-geoconservação_web-260x378.jpg