Agricultura e Recursos Florestais

Genes órfãos identificados na cana podem aumentar resistência da planta

A pesquisa, realizada na Unicamp por Cláudio Benício Cardoso da Silva como projeto de pós-doutorado, identificou genes órfãos na Saccharum spontaneum, espécie de cana-de-açúcar reconhecida por sua alta resistência a numerosos estresses bióticos.

Também conhecidos como taxonomicamente restritos (derivado da terminologia inglesa, taxonomically restricted genes), os genes órfãos são exclusivos de um grupo de organismos e não aparecem em outras espécies ou mesmo em outros organismos de uma mesma espécie, distinguindo um grupo genético de outros do mesmo gênero.

Para o projeto, foram analisados os genomas da cana-de-açúcar que têm essa singularidade, não só identificando os genes órfãos da plana como também verificando que seus níveis de expressão no genoma da cana variam em resposta a estresses abióticos. Com essa conclusão, os pesquisadores acreditam que a presença desses genes pode ser a responsável pela adequação da resistência da espécie aos diferentes estresses que supera.

Os pesquisadores envolvidos pretendem agora iniciar uma fase experimental da pesquisa, submetendo as espécies de cana a diferentes condições de estresse para analisar a resposta genética de cada uma contra espécies não submetidas. Assim, se confirmada a hipótese do papel dos genes órfãos na tolerância contra pressões ambientais, será eventualmente possível elaborar o cultivo de plantas de interesse comercial geneticamente mais fortes.

O artigo que introduz a pesquisa pode ser lido integralmente no portal da revista Frontiers in Plant Science.

Tema relacionado:

Para saber mais