Geometria da Lavra: Requisitos para a lavra a céu aberto

Minas a céu aberto no Vale Brucuto, em Minas Gerais. (Imagem: Época Negócios)

 

Em princípio, a lavra de minas a céu aberto é justificável, tecnológica e economicamente, quando se situa próxima à superfície ou a profundidades moderadas.

Entretanto, em razão, principalmente, dos enormes avanços da mecanização, minérios estão sendo extraídos a profundidades cada vez maiores por essa metodologia.

A partir do início do séc. XX, inicia-se o período da produção em massa. Tal produção está baseada no uso intensivo dos mineradores contínuos e/ou equipamentos de lavra de porte cada vez maior, o que tem possibilitado um aumento, sempre crescente, da produtividade na lavra de minas ao longo dos anos.

O uso do carboneto de tungstênio nas ferramentas de corte também foi outro fator crucial no aumento da produtividade. A Fig. 1 representa um esquema adotado para a extração do minério a em uma encosta.

Fig1: Esboço de uma lavra a céu aberto em uma encosta. (Fonte: Shevyakov, 1963)

 

 

A lavra a céu aberto é possível mesmo quando os depósitos não estão expostos diretamente à superfície, mas estão cobertos por uma considerável quantidade de sedimentos ou rochas, cuja espessura não exceda um certo limite.

Em casos como esse, o depósito pode ser horizontal (Fig. 2) ou inclinado (Fig. 3). A unidade de produção de um empreendimento mineiro que extrai o minério pelo método a céu aberto é internacionalmente denominada open pit.

A fig. da esquerda mostra o esboço de uma lavra a céu aberto em uma camada plana com uma superfície horizontal. A fig. da direita mostra o esboço da mesma estrutura em uma camada plana com superfície inclinada. (Fonte: Shevyakov, 1963)

 

Tudo a ver

Em Lavra de minas, o Prof. Adilson Curi (UFOP) apresenta de maneira didática os fundamentos das lavras de minas a céu aberto e subterrâneas, compreendendo os conceitos básicos e a aplicação de novas tecnologias nas operações de lavra. Veja esse e mais livros relacionados em nosso lojão.