Geotecnologias e aplicações

Impactos dos incêndios florestais nos biomas brasileiros

Os impactos dos incêndios florestais são diversos, representando riscos para a saúde humana e para as atividades econômicas, além de provocar danos muitas vezes irreversíveis nos processos ecossistêmicos do planeta.

Embora, ao longo dos últimos anos, tenha se observado um declínio global de áreas queimadas, a intensificação da agricultura em regiões florestais com dossel fechado tem apresentado uma tendência inversa.

Os modelos climáticos desenvolvidos pelo Intergovernmental Panel on Climate Change (IPCC) alertam para tendências negativas para as chuvas nos trópicos ao longo dos próximos anos. Esse cenário aponta para um aumento na intensidade e na frequência de secas e, com isso, queimadas agrícolas permearão cada vez mais as áreas florestadas.

Assim, os impactos dos incêndios florestais nos ecossistemas brasileiros serão tais como a degradação dos estoques de carbono e da biodiversidade florestal. 

Bombeiro em meio às chamas avaliando os impactos dos incêndios florestais imediatos. Vê-se o fogo e vegetação queimada.
Segundo Inpe, os incêndios florestais no Brasil aumentaram 20% em agosto em relação ao mesmo período de 2020. Foto: Agência Brasil/Divulgação

Principais impactos dos incêndios florestais

Os focos de fogo registrados no Brasil nos últimos anos são efeito combinado das ações antropogênicas e das variações climáticas. Os impactos dos incêndios florestais podem ser observados na degradação da qualidade do ar e demais consequências negativas no aspecto social, econômico e, sobretudo, ambiental.

Entre os principais impactos dos incêndios florestais no que diz respeito ao meio ambiente estão: 

  • Maior probabilidade de incêndios mais severos; 
  • Empobrecimento da biodiversidade ecossistêmica; 
  • Dificuldade na regeneração da vegetação após queimas repetidas;
  • Alta taxa de mortalidade na comunidade afetada pelo fogo; 
  • Perda de biomassa;
  • Empobrecimento da fauna devido às altas taxas de mortalidade dos animais; 
  • Asfixia nos animais pertencentes aos biomas atingidos; 
  • Lesões permanentes nessas espécies. 

Programa Queimadas monitora focos de fogo na vegetação

Desde 1980, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mantém um programa denominado Queimadas, cujo objetivo é recolher e armazenar dados e informações obtidos a partir do monitoramento dos focos de incêndio em todo o País.

Ao longo dessas mais de quatro décadas, o programa tem contribuído para a compreensão a respeito das causas e dos impactos dos incêndios florestais nos biomas brasileiros. Esse conhecimento auxilia no desenvolvimento de planos de prevenção e combate ao fogo mais eficientes.

Com base nos dados a respeito dos padrões dos incêndios regionais no que diz respeito à temporalidade, às causas e às consequências dos mesmos, é possível elaborar planos de prevenção e conscientização.

O Programa Queimadas monitora incêndios florestais e focos de fogo em todo o território. Foto: INPE/Reprodução

Novidade na Ofitexto trata do monitoramento de incêndios florestais

Organizado por Alberto Setzer e Nelson Jesuz Ferreira, Queimadas e incêndios florestais: mediante monitoramento orbital apresenta um panorama histórico do Programa Queimadas do Inpe e as contribuições deste para o monitoramento e a prevenção das queimadas ao longo dos anos desde seu estabelecimento.

Em uma obra completamente ilustrada, desenvolvida em linguagem direta e didática, os autores apresentam os resultados das pesquisas elaboradas ao longo dos anos ao lado da evolução da tecnologia dos satélites de monitoramento orbital.

A obra está disponível para aquisição na livraria técnica Ofitexto.

Capa do livro Queimadas e incêndios florestais: mediante monitoramento orbital. Mostra os impactos dos incêndios florestais em área queimada com fogo ativo e local já carbonizado.
Capa do livro Queimadas e incêndios florestais: mediante monitoramento orbital, da Oficina de Textos. Todos os direitos reservados.

Para saber mais