Inspeção para compra x vistoria de avaliação

A inspeção do imóvel antes da compra difere substancialmente da vistoria de avaliação realizada por engenheiros e arquitetos credenciados às instituições financeiras

O laudo de avaliação apresenta o valor de mercado mais provável em determinada data de um bem, que será a garantia de um financiamento, empréstimo ou consórcio.

Na vistoria, o profissional verifica se o imóvel possui características que prejudicam a aceitação da garantia, se atende às exigências do solicitante (que são variáveis entre as instituições) e se está em conformidade com a documentação, ou seja, se toda a área construída está averbada e a localização e a numeração predial estão corretas.

Todos os aspectos analisados na avaliação são importantes para a segurança do sistema financeiro, pois dificulta a ocorrência de fraudes com empréstimos superiores ao valor de mercado de um bem. (Imagem: divulgação)

O contratante é a instituição financeira, que está interessada em saber quanto vale o imóvel, se ele tem vida útil superior ao prazo do empréstimo e se é uma boa garantia em caso de execução.

O credenciado não tecerá qualquer comentário técnico ao comprador sobre o imóvel em negociação, tampouco realizará recomendações técnicas para alguma correção, pois esse não é o escopo do trabalho.

Todos os aspectos analisados na avaliação são importantes para a segurança do sistema financeiro, pois dificulta a ocorrência de fraudes com empréstimos superiores ao valor de mercado de um bem, o que causa prejuízo à instituição em caso de execução, e também para a destinação dos recursos do FGTS ou de poupança para financiamento de imóveis.

É importante ressaltar que é comum a divergência entre o valor de avaliação do engenheiro ou arquiteto credenciado, calculado conforme os preceitos da NBR 14653 da ABNT, e o preço negociado entre as partes. Isso se refere à diferença entre valor e preço do imóvel. O preço é aquela quantia que o comprador paga ou está disposto a pagar por um bem.

Pode incluir questões subjetivas, como, por exemplo, a aquisição de uma residência próxima a um familiar ou ao trabalho ou uma determinada característica construtiva, pelas quais o comprador pode, inclusive, estar disposto a pagar mais. Já o valor é a quantia mais provável pela qual se negociaria um bem, consciente e voluntariamente, em uma determinada data, com base nas condições do mercado.

Para ilustrar essa diferença, a Fig. I.2 apresenta uma mesma lata de refrigerante vendida em dois locais diferentes: em um supermercado e em um luxuoso restaurante. Nota-se que há uma grande diferença entre as duas quantias pelas quais é ofertado o mesmo produto.

Imagem retirada do livro Inspeção para compra de imóveis. (Todos os direitos reservados à Oficina de Textos)

O preço cobrado dentro de um badalado restaurante será diferente daquele praticado em um supermercado, pois no restaurante o cliente estará disposto a pagar a quantia superior praticada pelo estabelecimento. No entanto, o valor real da latinha de refrigerante não será alterado: ela permanece valendo aproximadamente R$ 2,00, que é a quantia cobrada no supermercado.


Tudo a ver

Inspeção para compra de imóveis é um guia prático para engenheiros e arquitetos que pretendem realizar inspeções técnicas para clientes interessados na aquisição de imóveis, de modo a evitar a compra de um bem viciado ou com defeitos.