Jogo rápido sobre Geofísica Aplicada

O livro Geofísica Aplicada: métodos geoelétricos em hidrogeologia une o conhecimento teórico a questões extremamente práticas.

Escrito por Antônio Braga, professor adjunto da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), o livro discute os estudos realizados para a perfuração de poços em diferentes tipos de aquíferos e também detalha investigações de campo para a detecção de plumas de contaminação proveniente de aterros sanitários, cemitérios, vazamentos de gasolina e óleo diesel, e contaminação por produtos químicos, entre outros fatores que podem tornar vulneráveis esses preciosos recursos.

Em entrevista ao Comunitexto, o autor conta como surgiu a ideia de transformar anos de experiência em livro:

CT: O que inspirou você a transformar esse assunto em livro?

Antônio Braga: No estudo de águas subterrâneas, a geofísica é a ferramenta que dá subsídios. É preciso conhecer as estruturas geológicas para saber a profundidade dos aquíferos, qual o melhor lugar para um poço.

Quando o assunto é contaminação, a relevância é ainda maior. Hoje até a Cetesb recomenda que se faça o estudo geofísico para mapeamento das plumas de contaminação.

Eu trabalho há muitos anos nessa área, entrei no Instituto de Pesquisa Tecnológica (IPT) em 1978, atuando com geofísica aplicada – e a maior parte do meu trabalho era voltada à hidrogeologia, ao estudo dos aquíferos. Depois vim para a universidade e continuei me dedicando à geofísica.

Mas, ao longo dessa carreira, eu percebi que falta material voltado à atividade prática, que oriente os profissionais nos estudos de campo.

A principal motivação veio depois que eu defendi minha tese de livre-docência aqui na Unesp, onde tentei elaborar um material mais prático, de geofísica aplicada, e percebi que alguns alunos estavam usando aquilo como referência para resolver problemas de campo.

Aquele material não era o ideal, então decidi escrever um livro que fosse mais adequado, que abordasse as dificuldades que o profissional encontra na hora que vai trabalhar, e que ajudasse a resolver esses problemas.

E o que deveria ter no livro? A parte teórica, claro, e também como aplicar essa metodologia no campo, considerando as características do Brasil: a geologia brasileira e as questões ambientais brasileiras.

CT: Essa lacuna é de materiais práticos? Isto é, as pessoas conhecem os conceitos de geofísica, mas na pratica não sabem exatamente como aplica-los?

Antônio Braga: Veja só, nós temos bons cursos de geofísica no Brasil e a parte teórica é muito desenvolvida mas, sim, vários estudantes e jovens profissionais têm dificuldade em aplicar esse conhecimento no dia-a-dia.

Como eu faço um estudo de geofísica para alocar um poço de captação de água? Como eu analiso os resultados das medições? O material que foi reunido no livro é voltado justamente para essas questões.

CT: É por isso que há uma ênfase nos casos históricos, nos quadros explicativos e nos recursos gráficos? Como foi transformar esse conhecimento prático em texto?

Antônio Braga: Na realidade, não foi muito difícil. Eu procurei colocar ao longo do texto aquelas dificuldades que eu tive no início, quando eu comecei a aplicar esses estudos, e também as que eu vejo que o pessoal tem hoje.

Tentei exagerar ao máximo em figuras e gráficos, porque acho que isso é muito didático. Quando uma pessoa está lendo, não há nada como ver uma figura para poder entender melhor.

A gente vai acumulando experiência com anos de atuação, de resolução de problemas, e quando esses exemplos práticos são traduzidos em texto e imagens, a explicação se torna mais fácil.

CT: Existe muita desinformação em como aplicar esses métodos geofísicos? É verdade que há profissionais que desconfiam desses métodos?

Antônio Braga: Essa é uma questão fundamental. A geofísica trabalha basicamente com os parâmetros da própria terra, do nosso planeta Terra, como o magnetismo e a gravimetria, e as metodologias são vastas.

Quando há muita diversidade, fica mais difícil saber qual é a metodologia mais adequada naquela situação que você está enfrentando, considerando as características geológicas, topográficas etc. e, às vezes, se você utiliza um método inadequado, os resultados dão errado.

Eu cansei de ver profissionais dizendo que a geofísica não funciona; mas não funciona por quê? Porque há pouca orientação para os estudos de campo, e isso leva os profissionais e adotarem metodologias inadequadas, que acabam não trazendo o resultado esperado e gerando descrédito.

Por isso eu considero esse livro tão importante: ele não vai mostrar a metodologia certa ou errada, como uma receita pronta. Ele vai ajudar o profissional a identificar qual a metodologia mais adequada para cada situação.

CT: E quem pode se beneficiar desse livro?

Antônio Braga: A princípio, todos os profissionais que trabalham ou que querem trabalhar com águas subterrâneas, e também o pessoal da graduação e da pós-graduação preocupados com a atividade prática.

Ele ajuda muito quem está na área ambiental e precisa identificar plumas de contaminação, como geólogos, geofísicos, engenheiros ambientais e engenheiros civis.

Há muitas pessoas ligadas ao abastecimento hídrico e ao meio ambiente que certamente vão encontrar aqui muita informação prática.

Tudo a ver

geofisica-aplicada-metodos-geoeletricos-em-hidrogeologiaPróximo lançamento: Geofísica Aplicada: métodos geoelétricos em hidrogeologia, do prof. Antonio Braga. A obra é fundamental na gestão e planejamento para captação visando abastecimento, monitoramento e remediação de áreas contaminadas.

Os métodos geoelétricos em hidrogeologia são discutidos neste livro tanto em seus aspectos teóricos, como em suas aplicações práticas, apresentando orientações sobre a coleta e a interpretação de dados, estudos de caso e subsídios na escolha da metodologia mais adequada.

Fique ligado e se inscreva-se para ser avisado!