Agricultura e Recursos Florestais

Mandioca: do plantio à colheita: entrevista com Pedro Soares Vidigal Filho

Organizado pelos Prof. Dr. Pedro Soares Vidigal Filho (UEM – Maringá), Prof. Dr. Aluízio Borém (UFV- Viçosa), Dr. Manoel Genildo Pequeno (In memorian), e Dr. Alex Henrique Tiene Ortiz, o livro Mandioca: do plantio à colheita  apresenta todo o percurso dessa cultura, desde o preparo do solo até a conservação de seus produtos.

Junto a informações sobre a origem, a fisiologia e a nutrição da planta, a obra detalha as características das principais cultivares de mandioca no Brasil, as ferramentas para o controle de pragas, doenças e ervas daninhas na cultura, os métodos e sistemas de irrigação mais eficazes e as práticas mais utilizadas na colheita da mandioca.

Para apresentar mais detalhes sobre este lançamento da Oficina de Textos, o Comunitexto convidou o Prof. Dr. Pedro Soares Vidigal Filho. Confira a seguir a entrevista na íntegra. 

capa do livro Mandioca: do plantio à colheita
Capa do livro Mandioca: do plantio à colheita.

Comunitexto (CT): Quais são os principais destaques de Mandioca: do plantio à colheita?

Pedro Soares Vidigal Filho (PSVF): A mandioca (Manihot esculenta Crantz), também conhecida como aipim ou macaxeira é a mais brasileira das grandes culturas, que na atualidade encontra-se disseminada em todo o mundo tropical e subtropical, onde é responsável pela segurança alimentar de cerca de 800 milhões de pessoas. Ela é cultivada em mais de uma centena de diferentes países, ocupando a 14ª posição em área em nível mundial, representando cerca de 1,7% da área colhida com atividades agrícolas no mundo, segundo dados da Food and Agriculture Organization of the United Nations – FAOSTAT (2018). 

A importância da mandioca está relacionada ao uso intenso de mão de obra no plantio, nos tratos culturais e na colheita, assim como na geração de renda das populações, e no consumo humano e animal. Seus principais produtos industrializados são a farinha, a fécula ou amido, e a tapioca. Além destes produtos, vários outros são obtidos no processo industrial de modificação do amido (fécula nativa), entre eles, os amidos catiônicos, oxidados, esterificados, fosfatados e produtos gelatinizados.

Assim sendo, diante da relevância econômica e social, torna-se preponderante tanto a geração quanto a disseminação de conhecimento acerca dessa tuberosa, de forma a que, ao ser cultivada, ela possa vir a expressar o seu máximo potencial.  Neste contexto, a publicação Mandioca: do plantio à colheita é uma obra inédita que chega à Livraria Técnica Ofitexto neste início de 2022.

Mandiocas cortadas sobrepostas em uma mesa
Obra em lançamento aborda os aspectos econômicos e sociais relacionados à mais brasileira das culturas. Foto: acervo EMBRAPA.

Os capítulos do livro abordam aspectos relacionados à importância econômica e social; origem, botânica, e descrição da planta; caraterísticas fisiológicas:  fatores ambientais versus crescimento e desenvolvimento; manejo de solo; práticas culturais e manejo comuns à cultura; exigências nutricionais, calagem e adubação; descrição de cultivares atuais; métodos adequados a serem empregados no controle de plantas daninhas, de pragas e de doenças; métodos e sistemas mais eficazes a serem utilizados em lavouras irrigadas; práticas de colheita: manual, semi-mecanizada e mecanizada; conservação pós-colheita das raízes tuberosas da mandioca.

A obra é dividida em 13 capítulos, escritos por autores de especialidades diversas, que são profissionais de renome e que atuam em destacadas instituições públicas estaduais e federais. 

CT: Qual sua principal motivação para o desenvolvimento deste livro?

PSVF: A obra intitulada Mandioca: do plantio à colheita faz parte da série de publicações a respeito de culturas de importância econômica iniciadas pelo professor Dr. Aluízio Borém (UFV), que sempre procurou especialistas para colaboração. No caso específico da Mandioca, coube a mim, Prof. Dr. Pedro Soares Vidigal Filho, do Departamento de Agronomia da UEM, a honra de ser convidado para organizar a publicação.

Tal convite decorreu do fato de que sou conhecido em todo o país como Professor e Orientador de estudantes de Iniciação Científica, de Mestrado e de Doutorado que, ao longo de sua carreira acadêmica, sempre desenvolveu pesquisas com a Cultura da Mandioca. E, sem dúvidas, a publicação desta obra neste início de ano de 2022, ocasião em que estamos comemorando 40 anos de Carreira Acadêmica na UEM, me deixa plenamente realizado.

CT: A que tipo de público se destina o livro?

PSVF: Esta obra, Mandioca: do Plantio à Colheita, foi elaborada de forma a atender às necessidades de professores e de estudantes dos cursos de Agronomia, de Engenharia Agrícola, e de Escolas Técnicas em Agricultura e, também, de Produtores e de Profissionais que dão Assistência Técnica ao segmento produtivo desta cultura. Cada um dos 13 capítulos do livro foi escrito por especialistas de forma a discorrer sobre as mais recentes tecnologias e inovações empregadas em todas as etapas do cultivo da mandioca. A publicação é uma rica fonte de informações úteis a todos aqueles que se interessam no cultivo dessa importante tuberosa.

Mandiocas de diferentes cores e formatos expostas em superfície azul.
Coloração da película suberosa das raízes, variando do creme ao marrom-escuro e variações na coloração do córtex das raízes tuberosas. Imagens presentes no livro Mandioca: do plantio à colheita. Todos os direitos reservados.

O livro Mandioca: do plantio à colheita está disponível na livraria técnica Ofitexto.

Para saber mais