O que é Mineração a Seco?

Beneficiamento a seco no tratamento de minérios tem ganhado notoriedade após a tragédia ocorrida na cidade de Brumadinho (MG), no último dia 25 de janeiro. Mas você sabe como funciona?

1/4 das barragens de rejeitos de minério com alto risco são da Vale. (Imagem: Veja)

 

O cenário em Brumadinho, município brasileiro no estado de Minas Gerais, é assustador. Centenas de pessoas mortas. Outras centenas desaparecidas e alguns poucos sobreviventes. Em meio ao caos que se instalou por lá, as pessoas parecem ter chegado num consenso: era uma tragédia anunciada. E um dos principais motivos está relacionado a escolha do tipo de barragem.

Ricardo Salles (Ministro do Meio Ambiente) disse que modelo de barragem a montante, como o usado pela Vale em Brumadinho (MG), é ‘antigo’ e ‘superado’, e que “havendo alternativa técnica, não tem por que manter algo superado, algo antigo e que tem um risco inerente, que é esse modelo de barragem, sobretudo essa construída a montante, que mostrou a fragilidade“.

O ministro defendeu ainda uma substituição rápida do modelo a montante pelo modelo a seco nos casos em que “for possível”. Vamos então entender como funciona esse método de beneficiamento de minério.

Sistema ‘dry‘ ou a seco

No processo a seco, a água é dispensada e após a britagem e o peneiramento, o material já está pronto para o mercado. Além dos ganhos ambientais, já que a seco não é necessário construção de barragem, nem captação de água do meio ambiente, existe um ganho real na produtividade e uma enorme economia de recursos: menos energia, menos etapas de produção, menos equipamentos e uma operação muito mais simples e segura para todos.

Além disso, no beneficiamento a úmido sempre há perda de material, que é arrastado pela água e bombeado para enormes barragens de rejeito. Já a seco, 100% da massa é recuperada e comercializada. A mineração a seco, no entanto, não pode ser aplicada a todos os minérios, pois algum deles apresentam baixo teor e necessitam de processos de concentração, o que requer o uso de produtos químicos para a separação do material, sendo normalmente necessário o uso da água.

As jazidas de ferro de Minas Gerais, por exemplo, possuem um teor menor que o exigido pelo mercado, portanto é necessária uma concentração do minério por meio de produtos químicos que reagem em presença de água para separar o material sem valor econômico(rejeito) do minério. Em Carajás-PA, o minério de ferro atende naturalmente às exigências do mercado por ter um teor naturalmente alto, sendo assim, não necessita de concentração por meio químico e consequentemente não produz rejeito líquido ou pastoso e nem há necessidade de barragens.

Tudo a ver

Geologia de barragens propicia uma literatura técnica objetiva sobre o assunto aos alunos graduados de Geologia e de Engenharia e orienta os profissionais dessas áreas sobre a melhor forma de aplicar os conhecimentos geológicos em prol de projetos de barragens mais seguros, econômicos e com adequada inserção ambiental.