Planejamento de obras: Deficiência das empresas

Matéria publicada em 12.11.2019

(Imagem: Divulgação)

Algo que pode ser tristemente constatado no mundo da construção civil é a ausência ou a inadequação do planejamento das obras. Esse fenômeno é sentido muito mais nas obras de pequeno e médio portes, em sua maioria efetuadas por empresas pequenas, por profissionais autônomos ou mesmo por seus proprietários.

A deficiência dos construtores se manifesta em graus variados. Há empresas que planejam, mas o fazem mal; outras que planejam bem, mas não realizam o controle; e aquelas que funcionam na base da total improvisação.

Leia também

Como funciona o orçamento nas empresas?

Utilidades da orçamentação

Enquanto algumas construtoras se esforçam para gerar cronogramas detalhados e aplicar programações semanais de serviço, outras creem que a experiência de seus profissionais é o bastante para garantir o cumprimento do prazo e do orçamento.

A deficiência do planejamento pode trazer consequências desastrosas para uma obra e, por extensão, para a empresa que a executa. Não são poucos os casos conhecidos de frustração de prazo, estouros de orçamento, atrasos injustificados, indisposição do construtor com seu cliente (contratante) e até mesmo litígios judiciais para a recuperação de perdas e danos.

A melhor maneira de minimizar esses impactos é produzir um planejamento lógico e racional, pois assim se dispõe de um instrumento que se baseia em critérios técnicos, fácil de manusear e interpretar.

Causas da deficiência

As causas da deficiência em planejamento e controle podem ser agrupadas em função dos seguintes aspectos arraigados de longa data:

  • planejamento e controle como atividades de um único setor;
  • descrédito por falta de certeza nos parâmetros;
  • planejamento excessivamente informal;
  • mito do tocador de obras.

Quer saber o que o Eng. Aldo Dórea Mattos fala sobre cada uma delas? Vá até a loja da Oficina de Textos e adquira o livro Planejamento e controle de obras – 2ª ed.


Tudo a ver

Com uma abordagem lógica e de fácil compreensão, Planejamento e controle de obras – 2ª ed. é um guia essencial para todo profissional que precisa controlar custos, evitar atrasos e garantir o sucesso do empreendimento.