Prof. Antônio Guerra palestra na ZALF sobre pesquisa de degradação no Brasil

Matéria publicada em 3/10/2019

Autor de Processos Erosivos e Recuperação de Áreas Degradadas esteve no Centro Leibniz de Pesquisa de Paisagem Agrícola (ZALF), na Alemanha, para falar sobre o solo brasileiro

Em sua palestra, o autor de mais de 100 publicações científicas falou sobre erosão e degradação do solo em várias regiões do Brasil, principalmente no Sudeste e Nordeste do país. (Foto: ZALF)

Antonio José Teixeira Guerra, professor de Geografia Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), apresentou palestra sobre degradação e erosão do solo no Brasil.

O Prof. Guerra abordou os efeitos massivos da degradação do solo no país sul-americano e mostrou por meio de exemplos o potencial de destruição de vários eventos catastróficos, como deslizamentos de terra em áreas urbanas e rurais.

Em sua palestra, o autor de mais de 100 publicações científicas – e que recentemente lançou pela Oficina de Textos o livro Geoturismo, Geodiversidade e Geoconservação – falou sobre erosão e degradação do solo em várias regiões do Brasil, principalmente no Sudeste e Nordeste do país.

Aqui, não apenas nas áreas rurais, mas também nas áreas urbanas, os efeitos devastadores dos processos de erosão e degradação se tornam claros.

Leia também

Geoturismo, geodiversidade e geoconservação: Entrevista

Os conceitos de Geoturismo, Geodiversidade e Geoconservação

‘3 Geos’: Entrevista com Antônio Guerra e Maria do Carmo

A expansão urbana, o desenvolvimento inadequado da infraestrutura e, em alguns casos, a má administração política geralmente levam a movimentos de massa gravitacionais devastadores no Brasil, deslizamentos catastróficos que já mataram centenas de pessoas.

Número de favelas

Uma razão para isso são as numerosas favelas, cujos habitantes se afligem em encostas particularmente íngremes em assentamentos informais.

Esses movimentos gravitacionais de massa, que são exacerbados pelas mudanças climáticas, também afetam os mais pobres e, portanto, estão na interface de pesquisa entre a pesquisa da paisagem física e social.

Além da palestra técnica, o chefe do LAGESOLOS (Laboratório de Geomorfologia Ambiental e Degradação do Solo) também fez contatos promissores com pesquisadores da ZALF.

Assim, o Prof. Guerra reuniu-se para um intenso intercâmbio profissional, bem como para uma visita às instalações experimentais da AG “Landschaftspedologie” para discutir cooperações.


Tudo a ver

Amplamente ilustrada e com exemplos práticos nacionais e internacionais, Processos Erosivos e Recuperação de Áreas Degradadas discute temas como Bioengenharia na recuperação de áreas degradadas; geotecnologias no estudo de feições erosivas e movimentos de massa