Projeto de usinas hidrelétricas: Entrevista com o autor

Em bate-papo com a Oficina de Textos, o engenheiro Geraldo Magela comenta sobre esse complexo de projetos que abrange várias frentes de engenharia

Autor do livro Projeto de Usinas Hidrelétricas: passo a passo, o engenheiro Geraldo Magela Pereira teve a competência de reunir em sua obra todos os aspectos do projeto de uma usina hidrelétrica, bem como do reservatório, da subestação de manobra e da linha de transmissão associada.

Usinas hidrelétricas, gostando ou não, Brasil precisa delas. (Imagem: Mar sem Fim)

Abaixo, conversamos com ele sobre alguns critérios para escolha do local, os responsáveis pelo projeto e o potencial do Brasil nessa seara. Confira!

Comunitexto: Para começar, quais critérios são levados em consideração antes de definir a escolha do local, no qual uma Usina será instalada?

Geraldo Magela: Como norma, a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) desenvolve os Estudos de Inventário do Potencial Hidrelétrico de todas as bacias hidrográficas brasileiras. São os primeiros estudos e neles são identificados os locais apropriados para a implantação das usinas hidrelétricas, bem como suas respectivas potências. A potência a ser instalada num determinado local é estimada pela fórmula PI = 8,4 Hliq x Qmed (MW), onde: 

  • 8,4 é a constante resultante do produto do rendimento da turbina pelo rendimento do gerador;
  • Hliq é a carga ou queda líquida da usina (m), igual a diferença de cotas do NA do reservatório e do NA a jusante da usina menos as perdas de carga ao longo do circuito de adução e geração; 
  • Qmed = vazão média no local.

CT: Quem são os responsáveis e envolvidos na construção de uma Usina Hidrelétrica?

GM: Pelo lado do governo o Ministério das Minas e Energia / ANEEL. Pelos lados da iniciativa privada as Sociedades de Propósito Específico (SPEs) criadas para projetar, construir e operar cada usina.

CT: Sabendo que o Brasil tem um dos maiores potenciais hidrelétricos aproveitáveis do mundo, por que é tão difícil aproveitá-lo?

GM: Não é difícil aproveitá-lo. Precisa-se ter vontade política e dinheiro. O custo de um MW instalado é da ordem de R$ 6.000,00. É uma energia limpa e barata, quando comparada com as usinas térmicas. O Brasil tem um potencial hidrelétrico total estimado pelo governo em 240 GW. Desse total já foram implantados 100 GW nos últimos 68 anos (1950-2018), pelo governo e pela iniciativa privada a partir da abertura do Setor Elétrico no primeiro governo do Presidente Fernando Henrique Cardoso.

CT: Qual a vida útil de uma Usina Hidrelétrica?

GM: 50 anos. O Setor Elétrico no Brasil é grande e funciona muito bem. A Vida Útil da usina é definida da como 50 anos para efeito de amortização. Ao longo desse período são feitas manutenções anuais regulares dos equipamentos e das estruturas. A qualidade do projeto e a performance dos equipamentos é rigorosamente checada por proprietários e fornecedores. Após 50 anos os proprietários continuam operando e mantendo as usinas. Tem usinas operando há 100 anos.

CT: Quais cuidados devem ser tomados a fim de evitar qualquer tipo de impacto ambiental durante a construção de um Usina?

GM: Evitar impacto durante a construção é impossível. Para construir uma usina o rio precisa ser desviado, obrigatoriamente, duas vezes. A área de construção é desmatada. Já é um impacto forte. Após a construção e o enchimento do reservatório inunda as áreas afetadas a montante da usina. As áreas afetadas a jusante são obrigatoriamente recuperadas para que o empreendedor possa receber a Licença de Operação da usina (LO).


Tudo a ver

Projeto de Usinas Hidrelétricas: passo a passo conta com inúmeros exemplos retirados de projetos de hidrelétricas brasileiras. Há também um capítulo sobre os principais acidentes com barragens no Brasil e no mundo, que discute os riscos, as formas de prevenção e a gestão do patrimônio.