RCC e RCD: existe diferença?

A literatura que trata da geração e da gestão de resíduos da construção civil costuma utilizar duas siglas para tratar desse assunto: RCC e RCD. O que comumente se discute acerca disso é se há de fato alguma diferença entre as duas nomenclaturas. 

Neste artigo abordaremos esse tema, a fim de esclarecer, de uma vez por todas, se realmente existe diferença entre RCC e RCD. Confira!

RCC e RCD são a mesma coisa?

Antes de começarmos a explicar se há diferença entre as siglas RCC e RCD, é necessário definir cada uma das nomenclaturas. De acordo com André Nagalli, engenheiro, professor e autor do livro Aspectos quantitativos da geração de resíduos da construção civil, “os RCC remetem a resíduos de construção civil  nos termos da legislação federal e estão definidos pela Resolução Conama 307/02”. 

Essa resolução define os resíduos de construção civil como aqueles “provenientes de construções, reformas, reparos e demolições de obras de construção civil, e os resultantes da preparação e da escavação de terrenos, tais como: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em geral, solos, rochas, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc., comumente chamados de entulhos de obras, caliça ou metralha”. O professor ainda aponta o fato de “que o conceito remete à origem de geração dos resíduos, o setor da construção civil”. 

Já o termo RCD, segundo Nagalli, trata-se da tradução literal da sigla CDW, correspondente a construction and demolition waste, comumente utilizada na literatura internacional para designar o resíduo de construção e demolição. 

Assim, de acordo com a explicação do autor, os termos RCC e RCD são, de modo geral, utilizados como sinônimos, ou seja, não há diferença entre as duas nomenclaturas.

Tudo a ver

André Nagalli é autor das obras Aspectos quantitativos da geração de resíduos da construção civil e Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil, ambas publicadas pela Ofitexto. 

O primeiro livro, com maior foco no dimensionamento e na quantificação dos resíduos de construção civil, está disponível em versão exclusiva em e-book na livraria técnica da Ofitexto. 

Capa do livro Aspectos quantitativos da geração de resíduos da construção civil
Capa do livro Aspectos quantitativos da geração de resíduos da construção civil, publicado em e-book

Já o Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil se volta à legislação e às normas referentes ao tema. Este livro pode ser adquirido nos formatos impresso e digital, também no site da Ofitexto.

Capa de Gerenciamento de resíduos sólidos na construção civil