Restauração Florestal: indicadores hidrológicos para o monitoramento das florestas

Muito se fala em restauração florestal para proteção dos cursos da água, e manutenção dos serviços ecossistêmicos hídricos, porém, nos monitoramentos dos restauros, não há um consenso sobre quais indicadores hidrológicos utilizar para avaliar a efetividade dos restauros.

Perguntamos ao professor Ricardo Ribeiro Rodrigues,  coordenador do Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal (Lerf – Esalq USP),  quais os principais indicadores hidrológicos indicados para o monitoramento das  florestas.

O papel que a floresta faz, no controle do assoreamento, no controle de carreamento de particulado para dentro dos cursos da água, hoje, não está bem demonstrado. Apesar dos diversos trabalhos, inclusive muitos deles vocês vão encontrar no site do laboratório Lerf, ainda temos uma grande dúvida sobre o papel da restauração em termos de quantidade de água. Essa dúvida inclusive não é somente nacional, mas mundial.

Vários autores falam que vai reduzir a quantidade de água, outros falam que vai aumentar a quantidade de água, e ainda outros falam que vai regularizar a produção de água ao longo do tempo.

Muito recentemente, através de uma parceria com a Universidade de Meryland foi submetido um trabalho da FAPESP  onde vai ser trabalhado a questão da água e solo em áreas restauradas.

Neste trabalho serão 24 microbacias analisadas em blocos. Para cada situação teremos uma microbacia sem restauração, onde vai ser monitorado todos os componentes de água, solo e biodiversidade, sendo na mesma região:

  • uma microbacia com 30 metros de restauração de mata ciliar.
  • uma microbacia com 100% de floresta restaurada.
  • uma micro bacia com 100% de floresta nativa.

Nós teremos 5 repetições destes cenários onde vamos comparar todos os efeitos da restauração ou da floresta nativa, na questão de água, quantidade, qualidade, solo e biodiversidade. Mas infelizmente estes dados ainda não existem ainda no mundo. Concluindo, o papel da restauração para a qualidade da água está bem claro, porém, para quantidade ainda não.

Tudo a ver

Restauracao-florestal-CAPA_webO livro Restauração Florestal fornece diretrizes conceituais e práticas para definir e implantar as ações de restauração mais adequadas em termos ecológicos, operacionais e de custos. Além de monitorar e avaliar os resultados obtidos, seguindo a legislação ambiental mais recente, alia com visão multidisciplinar e pertinência conceitos da Ecologia, Botânica, Silvicultura, Ciências dos Solos, Economia e Ciências Sociais.

De autoria dos professores da Esalq, Pedro Henrique S. Brancalion, Ricardo Ribeiro Rodrigues e Sergius Gandolfi, a obra é um verdadeiro manual de restauração, em prol do avanço em quantidade e qualidade da restauração florestal no Brasil. Apresenta conceitos sobre métodos de restauração, ecossistemas de referência, diagnósticos e zoneamento, avaliação, monitoramento, produção de sementes e mudas e geração de renda pela restauração florestal em larga escala.

Ricamente ilustrado, totalmente em cores, e com inúmeros exemplos reais, resultado de anos de experiência de campo dos autores, Restauração Florestal também apresenta em cada capítulo valiosos depoimentos das principais lideranças brasileiras e mundiais no setor, cuja contribuição o enriquece. Um livro essencialmente técnico e prático, mas com sólido embasamento científico para as ações de restauração apresentadas, esta obra é uma referência indispensável para estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais.