Sensor Modis e o monitoramento de vegetações

Quais as vantagens do aparelho e como funciona sua aplicação

(Foto: Divulgação)

 

No mês passado, o biólogo Fernando Reich, colunista do jornal O Estado de S. Paulo, publicou uma notícia sobre um estudo feito por cientistas, que constatou que, entre 2003 e 2014, as florestas tropicais liberaram mais carbono na atmosfera do que removeram, devido às derrubadas e queimadas nesses territórios.

Para tal estudo, os cientistas colocaram a bordo de um satélite o sensor Modis (MODerate Resolution Imaging Spectroradiometer), que fotografou todas as florestas tropicais entre os trópicos de Câncer e Capricórnio. As fotos permitiram que eles analisassem o que ocorreu em cada um dos milhares de “quadrados” de vegetação.

Mas por que os cientistas optaram pelo uso do sensor Modis? Segundo o pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Flávio Ponzoni, o sensor apresenta vantagens quando comparado aos outros.

“A vantagem do sensor MODIS é a revisita, ou seja, a capacidade de gerar imagens de uma mesma superfície do planeta em espaço de tempo curto em relação aos demais. Isso possibilita a identificação de alterações na cobertura vegetal em tempo quase real”, disse.

A forma de aplicação também diz muito sobre o monitoramento de grandes extensões de superfícies cobertas por vegetação, porém, ela pode variar dependendo do fenômeno que será estudado.

“Nesse caso, o monitoramento precisa ser relacionado a algum fenômeno. Monitoramento de desflorestamento? Monitoramento de degradação? Corte seletivo? Basicamente, esse tipo de monitoramento é fundamentado na observação de séries temporais de imagens de diferentes sensores orbitais. As características desses sensores são definidas em função do fenômeno a ser monitorado”, explica o co-autor do livro Sensoriamento remoto da vegetação.

Tudo a ver

Esta disponível em nosso site a gravação da palestra Sensoriamento remoto por radar para estudos de vegetação. Apresentada pela Professora Tatiana Kuplich, o talk discute sobre temas como:

  • Alguns fundamentos do sensoriamento remoto por radar; e
  • Suas aplicações em mapeamento de vegetação e estimativas de biomassa.