Sensoriamento remoto para estudos de vegetação

Palestra ministrada pela Professora Tatiana Kuplich apresentará fundamentos e aplicações com foco em grandes vegetações

Satélite (foto: divulgação)

 

No dia 5 de dezembro, terça-feira, a especialista em Sensoriamento Remoto pelo Inpe e PhD em Geografia pela University of Southampton (Reino Unido), a Professora Tatiana Kuplich, irá apresentar em palestra alguns fundamentos do sensoriamento remoto por radar e suas aplicações em mapeamento de vegetação e estimativas de biomassa.

“Entre os fundamentos, discutiremos muito sobre o radar. Os satélites carregam os sensores, e os satélites dos quais nós iremos falar carregam os radares, que tem uma diferença básica em relação aos sensores ópticos – aqueles que estamos acostumados, eles são sensores ativos, então eles emitem a radiação na faixa das micro-ondas e captam a energia que é refletida de volta para o sensor”, explica a Professora de pós-graduação do Inpe.

Além das características do sensor e do objeto no caso, florestas e vegetação, e como diferenciar imagem óptica de imagem de radar, a palestra de duas horas também abordará a questão dos mecanismos de interação da radiação com os objetos na superfície da terra.

“Nesse caso, vou falar como o sensor orbital enviará as micro-ondas, e quando essas micro-ondas atravessam a atmosfera e atingem os objetos ocorrerá uma série de mecanismos de interação, e essa energia espalhada de volta para o satélite será registrada e fará a imagem”, afirma.

Tudo a ver

Se você perdeu ao vivo, não perca a oportunidade de assistir à reprise do talk Sensoriamento remoto por radar para estudos de vegetação. Na palestra, a Professora Tatiana Kuplich, Bióloga formada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em Porto Alegre, apresenta: 

  • Alguns fundamentos do sensoriamento remoto por radar; e
  • Suas aplicações em mapeamento de vegetação e estimativas de biomassa.