Vias verdes com pavimentos de concreto permeáveis

À medida que as áreas urbanas se alastram, são acompanhadas por impermeabilização da superfície com construções, calçadas e diferentes pavimentos. Nessas áreas, toda chuva que cai deve forçosamente escorrer para os pontos mais baixos, sem conseguir se infiltrar na terra e o revestimento liso permite que as águas ganhem velocidade rumo à drenagem. Quanto maior a área urbana, maior será a vazão que subirá no rio ou córrego onde é coletada, não raro inundando áreas adjacentes. 

A estratégia para fazer o controle das enchentes é reduzir essas vazões, detendo as águas de chuva e não lhes permitindo se precipitar rapidamente em direção às drenagens. A detenção da água é realizada em estruturas localizadas, reservatórios de detenção, popularmente chamados de piscinões ou em pavimentos permeáveis capazes, quando instalados em grandes áreas, a promover infiltração e detenção das águas de chuva em suas subcamadas permeáveis.

O município de São Paulo, por exemplo, já conta com 32 piscinões em operação e mais cinco em construção. Entretanto, esse número é longe do necessário para prevenir inundações na área urbana. Há de se lançar mão também da promoção da infiltração em área, capaz de mitigar as vazões, detendo as precipitações pluviais no próprio local onde chegam ao solo.

O pavimento de concreto permeável representa uma solução com benefícios urbanos múltiplos, solução da qual os gestores urbanos deveriam lançar mãos. Além da função tradicional como superfície estrutural para uso de veículos e pedestres, o pavimento de concreto permeável é dimensionado para reverter o fenômeno causado pela impermeabilização, que provoca a concentração das vazões das águas pluviais e reduz o tempo de escoamento às drenagens principais. Ao deter as águas, parte poderá se infiltrar, mais ou menos, de acordo com as características do subsolo local e parte será armazenada, e posteriormente será drenada lentamente. 

Ao deter água, o sistema urbano de águas pluviais necessário, como bueiros e galerias, também fica com menores dimensões, representando uma economia para a gestão urbana.

Veja, a seguir, a comparação entre a capacidade de diferentes revestimentos para reduzir o escoamento superficial:

Redução relativa do volume de escoamento superficial sobre superfícies de pavimentos na cidade de Kinston (EUA). Os dados são referentes a mais de 40 tempestades entre 2006 e 2007

Tipo de revestimentoMediana (%)Média (%)Mínimo (%) 
Concreto permeável99,999,999,0 
Blocos de concreto vazados92,898,791,1
Mistura asfáltica comum34,629,4
Fonte: Hunt e Collins (2008)

Com sua cor clara, o pavimento de concreto permeável aumenta o albedo, e a reflexão dos raios solares, que juntamente com a evaporação que propicia a água de seus poros, é capaz de atenuar também o aquecimento urbano e as ilhas de calor. Todos esses benefícios urbanos colaboram com o desenvolvimento sustentável das cidades.

Resultados medidos pela EPA (2016) em experimento com pavimento em concreto permeável indicaram que de 5% a 7% da água infiltrada evaporava, o que possivelmente auxilia a mitigar os efeitos de ilhas de calor.

As camadas do pavimento em concreto permeável são projetadas a partir dos estudos de precipitação e dimensionamento hidráulico. Os parâmetros de dosagem, materiais, métodos construtivos são projetados e especificados de modo similar a dos pavimentos convencionais.

Camadas de um pavimento de concreto permeável