Estudos realizados durante as etapas de exploração e desenvolvimento de reservas minerais (Part. 2)

Trazemos agora a segunda parte dos estudos que devem ser realizados no processo de exploração de reservas minerais. Confira!

Produção de minério de ferro em MG: a Vale possui também lavra com 9,7 mil toneladas de terras-raras já medidas (Foto: Marcelo Araújo/Agência Vale)

 

  1. Estudos ambientais

Fornecem uma descrição das questões ambientais que poderiam causar impactos no projeto, além de critérios a respeito dos aspectos que devem ser levados em conta durante a fase de planejamento a fim de garantir que os padrões aplicados sejam cumpridos ou excedidos.

Geralmente, esses critérios incluem a avaliação dos possíveis impactos no local do projeto e nas áreas adjacentes, incluindo a água (quantidade e qualidade de descargas de água, impactos em leitos de águas locais, pesca), o ar (poeira, ruídos, entre outros) e a terra (impactos na vida selvagem local e nas propriedades próximas, rejeitos, pilhas de estéril e preservação de sítios arqueológicos locais).

Os estudos ambientais avaliam esses impactos potenciais e registram os compromissos de mitigação que devem ser incluídos nas solicitações das licenças para a construção e a operação das instalações.

  1. Estudos metalúrgicos

Fornecem informações sobre os requisitos necessários para o processamento do minério (incluindo a granulometria ótima e os parâmetros de lixiviação/flotação), estimativas da recuperação do metal e uma projeção da qualidade dos concentrados e produtos finais.

  1. Estudo das relações comunitárias

As relações comunitárias têm a finalidade de conquistar o aval público do projeto e proporcionar um espaço de discussão para os moradores locais como forma de garantir que suas preocupações e sugestões a respeito do projeto sejam ouvidas.

O respaldo da comunidade local fornece uma ajuda essencial para a obtenção de licenças de operação. Por outro lado, essa atividade ajudará a definir a disponibilidade e as oportunidades para a contratação de mão de obra local e a identificar fornecedores e suas capacidades para o treinamento de pessoal.

Veja também

 

  1. Estudos dos recursos minerais

Permitem elaborar, com base no depósito, uma matriz 3D de blocos unitários pequenos e de igual tamanho, atribuindo a cada bloco as informações fragmentadas, coletadas, validadas e confiáveis associadas a cada um deles, de maneira que as informações relacionadas aos teores, conteúdos, densidades e outros índices de caráter técnico possam ser estendidas a todos os blocos dessa matriz.

A confiabilidade dessas estimativas conduz ao conceito de recursos medidos (alta confiabilidade), indicados (confiabilidade média) e inferidos (baixa confiabilidade). Apenas os recursos medidos e indicados podem servir de base para um projeto de mineração.

  1. Estudos de desenho e plano de lavra

São aqueles responsáveis por esquematizar os processos de lavra, em um primeiro momento seguindo uma abordagem figurativa e, posteriormente, uma abordagem operacional.

Esses processos podem estar associados a projetos superficiais ou subterrâneos incluindo a sequência de lavra, os acessos à mina, os procedimentos de preparação, os teores mínimos de explotação, a diluição, a taxa de produção anual, a movimentação de materiais, a seleção de equipamentos e maquinarias, a dotação, os custos de capital e de operação, além de outros fatores e parâmetros relacionados a essas operações.

  1. Estudos de reservas minerais

São aqueles que permitem incorporar características técnicas, econômico-financeiras e socioambientais à extração de recursos no projeto, planejamento e processo dedicados à extração comercial de ativos, transformando tais recursos minerais em reservas, as quais são classificadas como provadas (provenientes de recursos medidos) e prováveis (provenientes de recursos indicados e, eventualmente, de recursos medidos).

  1. Estudos econômico-financeiros

Permitem atribuir valor ao empreendimento mineral por meio da análise dos fluxos de caixa descontados no decorrer do tempo, mediante ratios alinhados de acordo com transações internacionais ou com a aplicação da técnica de opções reais.

Conforme afirmado anteriormente, a resolução gradual das incertezas latentes em uma jazida, que surgem à medida que se desenvolvem, progressivamente, os estudos recém-identificados, permite estabelecer uma estratégia de desenvolvimento mineral no decorrer de diversas fases de estudos e engenharias.

Tudo a ver

O livro Avaliação de empreendimentos e recursos minerais sintetiza, de maneira coerente, um conjunto de técnicas e procedimentos estatísticos, geoestatísticos e econômicos que permitem limitar as incertezas dos recursos e avaliar os erros e flutuações de seus principais parâmetros, além de melhor sustentar projeções e resultados do empreendimento mineral.