Qual a diferença entre o projeto de fundações de aerogeradores e estruturas correntes?

Matéria publicada em 3/10/2019

Uma boa pergunta merece uma resposta complexa. O Eng. Jarbas Milititsky então explica um pouco mais sobre esse tema, presente em sua ultima obra, Fundações de Torres

No caso de aerogeradores existem condicionantes que usualmente não estão presentes em outro tipo de solução de problemas de fundações. (Imagem: Jornal i)

Durante o webinar Fundações de Torres, promovido pela Oficina de Textos e apresentado pelo Eng. Jarbas Milititsky, um dos participantes perguntou sobre as principais diferenças entre o projeto de fundações de aerogeradores e estruturas correntes. A seguir a resposta.

A questão das fundações de aerogeradores não é mais difícil que os outros projetos em absoluto, mas existem requisitos que normalmente não estão contemplados nas outras fundações. Então, tipicamente, boa parte do projeto de fundações de aerogeradores são submetidos a revisão por projetistas com diferentes experiências e conhecimentos.

Existem exigências diferenciadas de cada fornecedor de equipamento. Alguns fornecedores não dizem não ter nenhuma exigência, o que é raro, enquanto alguns outros tem exigências não muito inteligíveis do ponto de vista de racionalidade em função de problemas que tiveram no passado em um determinado tipo de situação, por exemplo, a questão da solda numa certa profundidade, onde a justificativa apresentada era a fadiga da solda.

Leia também

Fundações de Torres: Entrevista com o Eng. Jarbas Milititsky

Projeto de fundações de aerogeradores

Bom, eu não sou especialista em solda de elementos metálicos, mas certamente um especialista ele consegue resolver o que é uma solda adequada para um determinado número de solicitações, ou seja, para evitar a fadiga. No entanto, como eles devem ter tido algum problema ou alguém levantou essa questão, simplesmente eles exigem que a solda entre dois elementos deve ficar no mínimo a X metros abaixo da base da fundação.

Outros, no caso da empresa Wobben/ENERCON, eles não aceitam estacas com hélice contínua, porque tiveram problemas. Eu já estive envolvido na solução de problemas com todos os tipos de fundação e não é o tipo de fundação que está propício a problema, a sua má execução, má utilização ou mal controle.

Aerogeradores

São essas características que diferem na solução de outro tipo de problema, o projetista usa sua experiência ou que seria mais comum em sua região e dá a solução. No caso de aerogeradores existem condicionantes que usualmente não estão presentes em outro tipo de solução de problemas de fundações. Por exemplo, em fundações de linhas de transmissão se a torre não cair, tudo bem, pois não existe nenhum outro requisito que não seja esse, e além do que se porventura cair não seria algo catastrófico.

Em aerogeradores é catastrófico. O nível de risco e as implicações financeiras são muito grandes. Outro aspecto é que os prazos de construção de parques de aerogeradores implicam no não cumprimento de prazo e por consequência multas altíssimas.

Dito isso, a solução tem que ser exequível e que na pior das hipóteses ela seja concluída com segurança dentro do prazo. Não pode atrasar um mês a implantação e trancar: se tiver 30 aerogeradores e 2 no meio do caminho tiverem problema na execução das fundações, o processo de montagem é um processo sequencial, resultando num dano muito grande aos contratantes. A área de aerogeração possui características muito específicas.


Tudo a ver

Fundações de torres: aerogeradores, linhas de transmissão e telecomunicações apresenta estudos de caso de projetos reais para diferentes condições de subsolo, definição de parâmetros de resistência e de compressibilidade, cálculo e dimensionamento, indicação para investigação do subsolo para cada tipo de torre e informações sobre ensaios comprobatórios.