Física e engenharia elétrica

Recursos hídricos e meio ambiente

De onde vem a energia elétrica que ilumina este ambiente?

É fato que a energia elétrica vem sendo cada vez mais utilizada, por suas características próprias de flexibilidade e eficiência. Como consequência, a operação dos sistemas elétricos atingiu altos níveis de complexidade, com inúmeros problemas a serem enfrentados e resolvidos por engenheiros para atender à demanda, garantindo níveis aceitáveis de qualidade, confiabilidade e economia.

A necessidade de grandes quantidades de energia e de maior confiabilidade fez com que as diversas unidades geradoras fossem interligadas, formando uma única rede elétrica, o sistema interligado. Veja quadro abaixo:

IntegracaoEletroenergetica_2014set-horizonte2015
Integração Eletroenergética Brasileira (2014) Fonte: Operador Nacional do Sistema Elétrico (www.ons.org.br/conheca_sistema/mapas_sin.aspx).

 

A figura acima corresponde a um diagrama parcial da Integração Eletroenergética do sistema interligado brasileiro. Pode-se constatar que há uma linha de transmissão interligando duas grandes regiões: a região Sul/Sudeste/Centro-Oeste e a região Norte/Nordeste.

Trata-se de uma linha de transmissão de 500 kV, com capacidade para transportar cerca de 1.000 MW e com comprimento de 1.270 km, partindo da subestação de Imperatriz, no Maranhão, atravessando todo o Estado de Tocantins e chegando à subestação de Samambaia, no Distrito Federal.

O chamado Linhão foi projetado e construído para promover o intercâmbio energético entre os sistemas Norte-Nordeste e Sul-Sudeste, possibilitando o despacho de energia nos dois sentidos, em função dos períodos de chuvas e secas nas regiões.

Apesar de uma maior complexidade tanto no seu planejamento como na sua operação, inclusive com a possibilidade de propagação de perturbações localizadas por toda a rede, um sistema interligado traz muitas vantagens, tais como: maior quantidade de unidades geradoras, necessidade de menor capacidade de reserva para as emergências, intercâmbio de energia entre regiões com diferentes sazonalidades etc.

Essa prática é adotada mundialmente e, no Brasil, iniciou-se no final da década de 1950. A finalidade de um sistema de potência é distribuir energia elétrica para uma multiplicidade de pontos, para diversas aplicações.

Tal sistema deve ser projetado e operado para entregar essa energia obedecendo a dois requisitos básicos, qualidade e economia, que apesar de serem relativamente antagônicos podem ser conciliados por meio da utilização de conhecimentos técnicos e bom senso.

Tudo a ver

circuito corrente capaEsta matéria foi retirada do livro Circuitos de Corrente Alternada: fundamentos e prática. A obra apresenta os tópicos fundamentais da teoria nesta área, como medição de grandezas elétricas; formas de onda; características elétricas de resistores, indutores e capacitores; circuitos trifásicos; transformadores; motores; potência em circuitos; instalações elétricas e segurança.

Além da parte teórica, a também apresenta problemas resolvidos, exercícios propostos, leituras recomendadas e vídeos que mostram a teoria na prática. Circuitos de Corrente Alternada apresenta os tópicos fundamentais da teoria nesta área, como medição de grandezas elétricas; formas de onda; características elétricas de resistores, indutores e capacitores; circuitos trifásicos; transformadores; motores; potência em circuitos; instalações elétricas e segurança.

Para mais informações e compra, acesse aqui.

Para saber mais